Feliz momento em que me deparei com os cliques cheio de personalidade de Guy Aroch que, tendo Elsa Hosk como modelo, elevou a tal característica ao cubo.  A gente nunca comentou sobre o fotógrafo aqui, por isso, antes de falar sobre o tal ensaio, que tal começarmos do começo e focarmos no cara por trás da câmera?

Guy Aroch, israelense, radicou-se em Nova Iorque nos anos 90 e desde então tem tido o cenário urbano da Big Apple como uma das suas locações preferidas. Preferência também que revela por Paris ao dividir seu portfólio virtual em duas grandes categorias: uma com fotografias feitas na metrópole americana, outra com imagens com a cidade parisiense ao fundo.  O cara tem um vasto portfólio que, além de outros inúmeros e relevantes trabalhos, conta com campanhas e capas para H&M, Diesel, Sonia Rykiel e Harper’s Bazar. Achou muito? Calma que a importância de Guy não para por aí: em uma época em que aplicativos para celulares permitem que se fotografe e aplique filtros às fotos dos usuários,o trabalho do fotógrafo, como cita o site Aremo, mostra-se muito pertinente tendo em vista que, fazendo o uso também de filtros e iluminação, ele passa um sentimento único em meio às milhares de imagens que são upadas diariamente na rede.

Agora já falando do ensaio em que Guy Aroch fotografou Elsa, faço novamente as palavras de Aremo as minhas. O ângulo em que alguns frames são clicados dão a impressão de que existe, realmente, alguém por trás da câmera – câmera esta que deixa de existir para dar lugar à história. O espectador se torna, então, personagem; espionando ou vivendo um caso de amor. Todas as fotos são carregadas de um senso de paixão e sensualidade, do qual é impossível sair ileso. Uma paixão doentia ou um  romance impossível?

Não tem como não sucumbir de amores pela Elsa de Guy!